terça-feira, 20 de outubro de 2020

Visões de 20x20

Yeah, yeah!

Não, caro leitora. Apesar da referência óbvia, não vou falar sobre a maravilhosa série (às vezes grafada como Visões de 20/20) concebida por Jamie Delano, Frank Quitely, Warren Pleece, James Romberger e Steve Pugh.

Entretanto, se você já leu alguma das quatro minis que compõem a saga, sabe que em alguns aspectos, estamos bem próximos da visão (hehehe) apocalíptica daquelas histórias.

E hoje me ocorreu uma ideia, que deixo registrada nesse bloco de notas virtual e público: fazer uma revista com 40 páginas de HQ (e talvez alguns extras), com duas histórias de exatas 20 páginas, com temáticas que resvalem nessa loucura que está sendo esse ano.

Só para você saber.

sábado, 26 de setembro de 2020

Ulver - Flower of Evil

E o título de disco da semana vai para

 

Dá próxima vez, façam o favor de me avisar de que tem disco novo do Ulver na roda.

Agora, voltamos à nossa programação normal.

sábado, 13 de junho de 2020

A insustentável leveza da internet

Tava lendo algumas edições de 2016 de uma newsletter que ainda estavam na minha inbox (mais sobre isso outro dia) e, mais uma vez, sou lembrado da natureza efêmera da internet.

Links pra posts e páginas do FB que foram apagados, links para páginas em sites que foram reformulados e que provavelmente tiveram seus endereços alterados, e links para blogs que não existem mais.

Havia sete links na última newsletter que li. Cliquei em quatro. Todos estavam quebrados.

Não sei se poderíamos considerar a informação contida nesses links mortos realmente relevantes, pelo menos relevantes para a civilização ocidental. Mas eram interessantes. Pelo menos, naquele momento, foram interessantes para mim.

Vivemos em uma época em que durante apenas um dia a humanidade produz muito mais informação bruta do que em muitos períodos históricos inteiros. Entretanto boa parte dessa informação é fugaz, e desaparece do mesmo jeito que veio ao mundo. Rapidamente.

terça-feira, 2 de junho de 2020

A nova técnica dos spammers


Pelo menos pra mim.

Vem um spam com um botão Unsubscribe me! vermelho e gigante.



Aí você passa o mouse sobre o link, e vê que ele não leva a lugar nenhum. Em vez disso, tem um comando mailto:, ou seja, vai criar uma nova mensagem de email que deveria ser enviada para alguém.

Só que não é só alguém. São 97 destinatários diferentes.


Aí imagino que alguns desses endereços estejam sob controle dos spammers, e outros sejam endereços verdadeiros e aleatórios que eles querem testar.

Então a pessoa que tem um endereço de email legítimo mas não tá ligada nos paranauê da infernet dá um reply. Como o email da pessoa supostamente não está em nenhuma blacklist, ele provavelmente chegará a todos os destinatários. Chegando nos endereços que estão sob controle dos spammers, o email de resposta servirá como uma confirmação de que aquele endereço alvo está ativo, que o usuário não é lá muito versado nas artes místicas da malemolência digital, e que pode ser bombardeado desde já.

Por outro lado, quando aquela mesma mensagem chegar em um outro email legítimo, de uma pessoa que talvez tenha o mesmo perfil, essa segunda pessoa também vai clicar no Unsubscribe me!, confirmando para os spammers que aquilo também é um email ativo, marcando-se como alvo, e também espalhando mais ainda o spam.

Engenharia social: 7

sexta-feira, 29 de maio de 2020

Na guerra fria entre restaurantes e iFood, o WhatsApp come pelas beiradas

https://manualdousuario.net/restaurantes-whatsapp-pandemia/

Artigo totalmente excelente do também excelente Manual do Usuário, e com o "plus a mais" do título de artigo mais infame desta sexta-feira*.

Embora tenham escopos diferentes, vi algumas ideias comuns do texto do Ghedin com o artigo do Rushkoff que eu postei aqui dias atrás. 

* sei que foi publicado ontem.

Os jardins murados do Instagram

Nunca tive conta no Instagram, mas bem que gostava de visitar uns perfis públicos. 


Só que alguns meses atrás, isso mudou.


Para dar mais de um scroll no mural (ou seja lá qual for o nome da página inicial de um perfil do Instagram), é necessário estar logado. O mesmo para expandir comentários ocultos de uma foto específica. 


Acredito que essa mudança tenha feito muitas pessoas criarem novas contas no serviço, mas a minha solução foi simplesmente deixar pra lá. E acredito que muita gente esteja nessa mesma vibe. Ainda consigo ver as primeiras fotos de um perfil, e consigo ver as demais se recebo o link específico para aquela foto.


E hoje me peguei pensando na possibilidade do Instagram voltar(?) a ser acessado somente via app. 


Por um lado, seria um baita contra-senso, porque não daria pra "embeddar" as fotos em outros sites e ou serviços. Por outro, uma audiência engajada somente via app seria muito mais "metrificável"* e, consequentemente, monetizável. 


A ver.


Aliás, declaro hoje o dia internacional dos neologismos.

Destinatário Ausente

O melhor do Brasil é o brasileiro, e uma imagem vale mais que mil palavras.

https://img.itch.zone/aW1hZ2UvNjQ5ODQyLzM0ODUxMTUuanBn/347x500/qMhAWZ.jpg

https://senpaivanilla.itch.io/a-brazilian-correios-game