segunda-feira, 20 de julho de 2015

DE GRAÇA, ATÉ CADEIRADA NAS COSTAS

OU AINDA: O MELHOR DA INTERNET É O BRASILEIRO.

Já faz tempo que o LinkedIn - que muita gente faz questão de lembrar que não é o Facebook - sofre com um trend bem curioso.

Alguém coloca um screenshot e dá uma breve descrição de uma planilha espacial, invariavelmente feita no Excel, que pode resolver todos os problemas da humanidade. Caso outrém se interesse, basta deixar o email nos comentários.

Consigo imaginar poucas razões para alguém querer colecionar milhares de endereços de email:
  1. Spam.
  2. Spam.
  3. Spam.
  4. Spam.
  5. Uma ingenuidade enorme em achar que uma lista de contatos anabolizada constitui algum tipo válido de networking. E essa ingenuidade, mais cedo ou mais tarde, vai se acabar se convertendo em algum tipo de spam. Normalmente aqueles da pior qualidade, no qual o empreendedor, na gana de vender algum produto ou serviço, vai mandar mensagem para dezenas, às vezes centenas de pessoas, sem nem se dar ao trabalho de colocar os destinatários em cópia oculta.
Se a pessoa quer mesmo compartilhar a tal planilha, não seria melhor disponibilizar a mesma em algum desses serviços de armazenamento, como o Dropbox ou o Google Drive? Enfim.

Essa semana me deparei com o post abaixo, porque dois dos meus contatos colocaram seus emails lá, pedindo a tal planilha:



Destaquei em negrito os trechos que dispararam os alarmes na minha cabeça:

"Bom dia pesssoal. Preparei uma planilha no bloco de notas para gerenciamento de projetos. Quem tiver interesse, é só deixar o e-mail abaixo. Ela está em conformidade com a normas NBR 8371, além de emitir um relatório em *.BMP. As macros também estão liberadas (linguagem Portugol), podendo inclusive ser exportada para PDAs, como o OS PALM. O arquivo não está protegido e poderá ser alterado. Também é compatível com qualquer padrão ATL. É possível controlar remotamente a temperatura do chuveiro e impede o derretimento do sorvete na geladeira."

Pensei comigo: ok, é zuêra.

Mas aí vi o número de comentários, e também o tempo que o post tá rolando por lá (mais de dois meses).

Aí, pensei comigo: não é possível.

Dos quase nove mil comentários que haviam da primeira vez que me deparei com essa pérola, a esmagadora maioria era de pessoas que simplesmente colocaram seus emails, esperando receber a tal planilha. O que me deixou mais estupefato ainda foi a grande quantidade de profissionais de TI que também caíram na brincadeira. Uma pessoa que não tem trato com computadores pode até não perceber alguns dos features absurdos que o Leonardo colocou na descrição (embora eu duvide que alguém, em pleno domínio das faculdades mentais vá mesmo acreditar que o Excel consiga controlar remotamente a temperatura da geladeira ou manter o sorvete congelado).

O que imagino que chamou a atenção da maioria das pessoas que colocou o email lá viu:

"Bom dia pesssoal. Preparei uma planilha no bloco de notas para gerenciamento de projetos. Quem tiver interesse, é só deixar o e-mail abaixo. Ela está em conformidade com a normas NBR 8371, além de emitir um relatório em *.BMP. As macros também estão liberadas (linguagem Portugol), podendo inclusive ser exportada para PDAs, como o OS PALM. O arquivo não está protegido e poderá ser alterado. Também é compatível com qualquer padrão ATL. É possível controlar remotamente a temperatura do chuveiro e impede o derretimento do sorvete na geladeira."

Aliás, caso você queira ver com seus próprios olhos, o post original está aqui (necessário login no LinkedIn. Mas não vá botar seu email lá, hein, abestada/o!).

Essa história daria um puta case sobre engenharia social. E se tratando do LinkedIn, uma rede suposta mente "profissional" e "séria", ficou pior ainda. As pessoas não leem nem o post, nem os comentários. A interface do LinkedIn talvez contribua, só um pouco, pois não exibe os posts completos e só mostra os últimos comentários, mas né?

Como disse uma das pessoas que comentou lá: toda vez que receber um currículo, vou dar uma olhada naquele post.

Uma canção para isso tudo? Só consigo pensar nessa aqui.



P.S.:  Acabei de olhar o post. Já são 9104 comentários. A maioria, evidentemente, pedindo a tal planilha.