sexta-feira, 29 de novembro de 2013

JOLLA PHONE

Mesmo parecendo muito... comestível... estou bastante interessado nesse Jolla Phone, sucessor espiritual do (meu) venerado Nokia N9.



terça-feira, 26 de novembro de 2013

MEUS ANDROIDS - 11/2013

SAMSUNG GALAXY S4 (GT-I9505)

Android 4.2.2 (ROM original da Samsung)

No meu caso, o telefone ainda é a principal forma de comunicação com o pessoal do trabalho, família e tal, então ainda prefiro deixar a parte da telefonia a cargo de um dumbphone cuja bateria pode durar dias em vez de horas.

Mas as circunstâncias fizeram com que eu tivesse que transferir a minha linha para esse aparelho.

E é meu primeiro telefone com Android. Ou melhor, é a primeira vez que uso um Android como telefone. Durante muito tempo, tive um Galaxy S2, mas o telefone era um Nokia E63. O S2 servia mais como um PDA. O chip que eu deixava nele só tinha um plano de dados. Mas, ao contrário do meu primeiro S4, o S2 morreu de morte matada (deixei cair na água).

Meu arranjo atual é composto por três telas, com os aplicativos que eu mais uso. Não há um critério muito específico. A ideia é que todos os aplicativos estejam a dois gestos de distância (rolo a tela para um lado ou para o outro, e clico). Estou considerando, num futuro não muito distante, agrupar os aplicativos em pastas, e deixar só uma tela.

Barra de notificações/status:


3G Watchdog

Zoner AntiVirus

Clipper - gerenciador de área de transferência. Embora alguns aplicativos lidem bem com isso, o Clipper é universal. Além disso, há a possibilidade de configurar snippets de texto, como endereços, e isso é uma mão na roda.

Barra de tarefas(?):


Discador (sistema)

Gmail (sistema)

Google Chrome (sistema?) - sinceramente, não me lembro se o Chrome já veio com esse telefone ou fui eu quem instalou.

Câmera (sistema)

Apps (sistema)



Tela 1 (da esquerda para a direita, de cima para baixo):

Gerenciador de aplicativos (widget/sistema)

Google Drive - Uso o Google Drive mais para criar documentos no formato do Google. Para estocar arquivos comuns, prefiro o Dropbox.

POLARIS Office 5 (sistema) - Na verdade, o S4 veio de fábrica apenas com o POLARIS Office Viewer 5, mas a versão completa é gratuita. A mesma tem que ser baixada através da Samsung Apps. Meu S2 veio com a versão completa do Polaris. Presumo que tenham feito isso no S4 para economizar espaço, visto que uma das grandes criticas ao aparelho foi justamente o pouco espaço interno.

Me lembro de ter ouvido um comentário em um podcast, certa vez, onde um dos participantes afirmava que brasileiros eram "noiados" com suítes de escritório em dispositivos móveis. No meu caso, posso afirmar que devo ser um desses. Esse tipo de aplicativo é muito importante para mim. Embora eu não faça edições pesadas, a simples possibilidade de poder receber um documento, fazer uma pequena correção/observação e devolver a quem quer que seja sem necessitar abrir meu notebook já é um alento.

Tiny Flashlight + LED (widget) - não tem o estilo de um NOKIA lanterninha, mas é o que tem pra hoje.

Dropbox

Calculadora (sistema)

ConvertPad

3G Watchdog (Widget)

S Planner (Samsung) - Acho melhor que o Google Calendar.

Google Keep

Leitor Ótico (Samsung) - OCRzinho básico. Pra mim, quebrou o galho.

Jota+ - Irmão mais velho do venerável Jota. Acredito que seja o único editor de textos com syntax highlighting configurável no Android. Uso bastante. E até contribuí com um arquivo de configuração (outros a caminho).

Skitch - é impressão minha ou o Skitch é o único app no Android que permite a adição de setas, formas geométricas e pequenas edições em imagens?

AirDroid - aplicativo para transferência de arquivos entre um computador e o dispositivo. Muito, MAS MUITO prático.

ES File Explorer - Eu gostava do Astro. Aí mudaram a interface e ficou impossível de usar. Depois fui pro File Expert. Aí ficou mais bugado que o Windows Vista. Acabei esbarrando no ES. Gostei.

E-mail (sistema) - uso apenas para manipular um email corporativo.



Tela principal (da esquerda para a direita):

Clima (sistema/widget): vou te dizer que sempre achei esses aplicativos com previsão do clima uma bichice incomensurável. Mas ultimamente estou entendendo as pessoas que fazem uso disso. Entretanto, confesso, o principal motivo dele ficar na minha home é essa animação maneirinha que acontece toda vez que entramos na tela.

Google (sistema)

Relógio (sistema)

Mensagem (sistema)

Youtube (sistema) - preciso mesmo fazer algum comentário?

Waze - já faz algum tempo que fui pego por essa mistura de Rede social + jogo + navegador. A utilidade do Waze é relativa, visto que depende da comunidade local de usuários, mas pelo menos em Curitiba, os resultados sempre foram muito bons. Consegui escapar de vários congestionamentos.



Tela 1 (da esquerda para a direita, de cima para baixo):

Google+

Facebook - Ninguém é de ferro. Só que eu desabilito as notificações. Só fico sabendo das atualizações quando aparece aquele contador vermelho.

Twitter

Tumblr - uso pouco, mas acho lindo!

LinkedIn

Goodreads

Flickr

Delicious

Música (sistema)

MX Player - acho melhor que o player de vídeos padrão.

Pulse - meu leitor de feeds principal. Uso em conjunto com o Feedly

SoundCloud

Hangouts - A única coisa que me emputece nesse aplicativo é a obrigatoriedade de se ficar online/visível. Ou seja, tenho que ficar fazendo logoff toda vez que termino de usar, se não sou surpreendido com mensagens de conhecidos que acham que estou de bobeira em frente ao notebook, nos piores momentos possíveis.

Galeria (sistema) - Não sei se é pelo fato de ficar puxando thumbnails da internet, mas a galeria do S4 é LEEEEENNNNNTTTTTAAAAA. Recentemente atualizei o Galaxy Note 1 da patroa para o Android 4.1, e notei o mesmo unfeature.

Amazon Kindle

FBReader - minha segunda opção para leitura. Mas, normalmente, eu converto e mando pro Kindle.

OUTROS APLICATIVOS (estou desconsiderando os que já vem instalados, a menos que eu tenha alguma utilidade para eles).

Adobe Reader - alguns pdfs só são visualizados corretamente no Adobe Reader.

Aviary

Blogger - Ok, blogar - no sentido clássico - num celular não é uma das atividades mais cômodas a se fazer. Mas o descaso geral e o (baixo) número de atualizações recebidas por esse app só ajuda a corroborar minha teoria de que o Blogger já está na lista negra do Google.

Box - Não uso muito, mas acho a interface maravilhosa. Além disso, conheço gente que gosta.

Candy Crush Saga - Ninguém é de ferro 2

Editor de vídeo - outro que veio no S2, mas tive que instalar no S4.

ElectroDroid - muito útil pra saber pinagem de cabos.

Evernote - Não curto muito o Evernote (prefiro o Springpad). Só instalei pro Skitch parar de me pentelhar.

Fast Image Viewer - para abrir arquivos .tiff (recebo aos montes)

Feedly - meu segundo leitor de feeds

Fing

Flipboard

Google Calendar

Google Goggles - já dei umas risadas com isso, mas até hoje não encontrei uma utilidade real pra essa parada.

Google Translate

HP ePrint - temos uma impressora wireless da HP no trabalho. Ótimo para impressionar colegas que confundem tecnologias suficientemente avançadas com magia (terceira lei de Clarke).

IP Network Calculator

Kingsoft Office

Opera

Opera Classic

Opera Mini - já te falei que gosto do Opera, né?

Pixlr Express

Pocket

Quickoffice

S Health (Samsung) - não sou do tipo que pratica esportes, mas fiquei viciado nesse contador de passos (que também estima a distância caminhada). Dia desses, por exemplo, descobri que caminhava bastante entre o estacionamento da fábrica e o local onde estava trabalhando.


S Memo (Samsung)

Skype - uso pouco, mas tem gente que só se comunica com isso.

Springpad

Tapatalk

Text Utilities - Foi o único app que encontrei capaz de fazer comparação entre dois arquivos de texto. Mas ficou bem aquém do esperado.

VLC

Yahoo Mail - Tenho um endereço paleolítico do Yahoo que nunca usei pra nada, mas fiquei curioso com essa nova versão tunada do Y! Mail. Instalei só pra ver se tem condições de competir com o Gmail.

SAMSUNG GALAXY TAB (GT-P1000L)

Android 2.3.6 (ROM atualizada da Samsung. Originalmente veio com o 2.2.alguma-coisa)

O originalzão. Sempre fui fissurado com esse aparelho.

Assim como acontece no Windows, o Android - apesar de rodar sobre um kernel Linux - vai apodrecendo com o passar do tempo. Com esse esquema de atualizações automáticas, os aplicativos vão ficando cada vez mais pesados, fazendo o hardware abrir o bico. Óbvio que há a opção de NÃO atualizar, mas alguns serviços simplesmente param de funcionar, em alguns casos existem riscos de segurança, bugs e também a pentelhação do Google Play.

Então, cada vez mais, eu vou passando o rodo nas apps que uso pouco, e o GTab está cada vez mais próximo de ficar como veio de fábrica, se transformando, aos poucos, num ereader anabolizado. Não que hoje isso me incomode.

Go Launcher EX - por incrível que pareça, essa home é melhor, mais rápida e fluída que a home da Samsung.

Barra de notificações/status:

Zoner AntiVirus

3G Watchdog

Go Battery Saver & Power Widget

Clipper



Na tela principal (da esquerda para a direita, de cima para baixo):


FBReader

Amazon Kindle

Aldiko - quando eu tinha o S2, o Aldiko vivia travando com o Ice Cream Sandwich mas, misteriosamente, sempre funcionou bem no Gingerbread. Parei de usar, mas acabei deixando ele aqui porque preciso descobrir como exportar as anotações que fiz em alguns livros.

StopWatch & Timer - Esta versão do Android não vem com cronômetro.

Alarmes (Sistema) - EU PRECISO ACORDAR CEDO!!!!1!!!

Câmera (Sistema) - Não é nada prático, mas já ajudou em algumas ocasiões, então sim, me solidarizo com quem tira foto do tablet.

Google Drive

Quickoffice

Roteador (Sistema) - por motivos óbvios.

Internet (Sistema) - Como não é possível instalar o Chrome no Gingerbread, e apesar de eu gostar muito do Opera, nesse caso prefiro continuar usando o browser padrão do Android. Vez ou outra o app do Youtube trava, e só volta a funcionar depois de um reset no dispositivo. E é nessas ocasiões que o browser do Android mostra seu valor.

Tiny Flashlight + LED (widget)

Youtube - Desde o upgrade do Froyo para o Gingerbread, atualização após atualização, essa porra nunca mais funcionou direito. Felizmente, o browser falcatrua do Android costumar ser mais do que suficiente.

Droid48 - Já disse por aqui que ainda não grokei por completo calculadoras que não trabalhem com
RPN. Em contrapartida, também não grokei trabalhar com um emulador de uma calculadora RPN numa tela touchscreen. Continuamos tentando.

ES File Explorer

Música - Por que sim.

Galeria (sistema)

Pulse

Google Tradutor -

Jota+

Dropbox

Go Cleaner & Task Manager

Calculadora (sistema) - Para contas de padaria.

AirDroid

Kingsof Office

Play Store - Não sei o que isso está fazendo aqui.

Na barra inferior (que no caso do Go Launcher, rola para o lado, abrigando mais cinco atalhos)

Jota

ThinkFree Office (Samsung) - Veio junto com o GTab. Meio inútil, por não lidar bem com arquivos no formato OOXML da Microsoft.

Aplicativos

Calendário

Opera

Opera Classic

Opera Mini - já falei que gosto do Opera, né?

Aplicativos

Gmail

Email (sistema)

quarta-feira, 13 de novembro de 2013

OS ZUMBIS FILOSÓFICOS DA CIDADE SORRISO - AGORA VAI!

Tá aí. Uma palhinha de OS ZUMBIS FILOSÓFICOS DA CIDADE SORRISO, hq que escrevi para o álbum Cidade Sorriso dos Mortos-Vivos, em mais uma parceria com o incrível Antonio Eder.

Estou me CORROENDO de ansiedade pra botar as mãos nesse álbum, e muito orgulhoso de estar no meio dessa patota toda.

O álbum está sendo lançado no FIQ 2013, em BH.

Se você está nas redondezas, vá lá e garanta seu exemplar!


segunda-feira, 11 de novembro de 2013

SÓLSTAFIR - SHE DESTROYS AGAIN

Já que falei que tenho ouvindo essa banda - descoberta recentemente - como se não houvesse amanhã?

Eles liberaram pra download (não sei por quanto tempo) um clipe que fico bloqueado no Youtube por muito tempo. Nada demais. A música é bem boa.

Baixe/Veja/Ouça.

domingo, 10 de novembro de 2013

BATMAN: THE DEAL

A melhor hq do Batman que você vai ler em muito tempo. Vai por mim.

P.S.: E nem te conto que é um fanfic, hahahahahahahaahahahahhahahaha!!!!!!!


sexta-feira, 8 de novembro de 2013

MODELO PARA ROTEIRO DE HQ NO GOOGLE DRIVE

Já há certo tempo, publiquei um modelo para escrita de roteiros de hq no Google Drive.

O link é esse.

Tentei automatizar um pouco a formatação, usando os atalhos padrão do Google Docs. As instruções estão no próprio documento.

Teste aí e me diga o que achou.

quinta-feira, 7 de novembro de 2013

RISE OF THE NORTHSTAR - SOUND OF WOLVES

Não costumo achar muita graça nessas bandas de HxC-malaco, mas gostei da estética meio mangá/shonen desse vídeo dos caras do ROTNS. E a música é bem legal.

quarta-feira, 23 de outubro de 2013

BATHORY/BATORÉ

Você, amigo metaleiro que viveu os loucos anos 1980/90, se lembra disso?

A molecada que com quem eu andava insistia em chamar o disco de Bathory/Bathory. 

Eu nunca entendi direito, mas não vou mentir: também caía na redundância ao me referir ao primeiro e auto-intitulado álbum da banda sueca fodástica.

E aí o Zé Wellington me aparece com a imagem abaixo no Facebook, que deve estar fazendo Qhuorthon dar piruetas no colo de  Baphometh.

E aí, um amigo comenta na minha timeline que isso daria uma camiseta legal. 

E aí me deu uma puta vontade de fazer uma...

sábado, 19 de outubro de 2013

terça-feira, 24 de setembro de 2013

PARASITAS DE ESTIMAÇÃO

A seção de comentários do blog do Charlie Stross é um caso à parte. Num post sobre parasitas, me deparo com isso:

http://www.antipope.org/charlie/blog-static/2013/09/parasites.html#comment-1685389

SPOILER ALERT!
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.

É a segunda vez que fico sabendo de um indivíduo que se auto-infectou para amenizar os efeitos de uma doença grave. E não estou falando de sanguessugas!

terça-feira, 17 de setembro de 2013

FAROESTE CABOCLO VIKING

Da banda islandesa Sólstafir, eu só conhecia a lindíssima Fjara.

Aí esse final de semana tropeço no vídeo abaixo.

Maluco pegou o filme Valhalla Rising, que tem 93 minutos, editou e condensou a narrativa em menos de 15.

Daí, fez uns enxertos na música Djákninn (do Sólstafir), juntou tudo e, bem, se não fossem as notas do vídeo, eu acreditaria que se tratava de um clipe oficial.

P.S.: se você pretende assistir VR, NÃO dê o play. Spoilers de todos os tamanhos, inclusive o final da história.

segunda-feira, 9 de setembro de 2013

COOKIE CLICKER

http://orteil.dashnet.org/cookieclicker

Quando meu filho me enviou o vídeo abaixo, achei que fosse exagero dele e do "TerrorBionic".

Não é.

Se não tiverem notícias minhas nas próximas vinte e quatro horas, chamem as autoridades.

sexta-feira, 6 de setembro de 2013

MARLI - MACUMBA PIRATA (TEASER)

Pra continuar no clima.

Combatam o esqueleto da Dor!

SATIRISMO.ORG

Meu irmão, repositório infinito de bobagens, sabe que eu me ligo nessas sandices e me apresentou os vídeos do satirismo.org.

Pelo que vi, eles já estão aí há algum tempo (e, impressão minha ou eles são de Minas?). Inclusive, já vi alguns deles em outros "programas" do tipo.

E, como meu bródi bem disse, as descrições dos vídeos são um caso à parte.

Enfim, assiste aí, porque o Tubarão sabe que na mandíbula dele é onde se foca seu poder primitivo:







quarta-feira, 4 de setembro de 2013

INKSHOT - AGORA FOI!

INKSHOT, coletânea de quadrinhos brasileiros da qual participo, desencantou e JÁ ESTÁ em pré-venda na Comixology:


Compre a sua AGORA!

Abaixo, a capa, feita pelo Felipe Sobreiro.


quarta-feira, 21 de agosto de 2013

WOLFHEAD - CUL DE SAC

Quem não gosta de Stoner Metal, bom sujeito não é... clica aí embaixo e OUÇA no maior volume possível.

quarta-feira, 14 de agosto de 2013

YOSHU FUKUSHU

Chinelos voadores me mordam!

Depois de seis anos sem lançar nenhum disco, o Maximum The Hormone dá a luz à sua quinta bolachinha (sim, é confuso).

No vídeo abaixo é possível se ouvir trechos das quinhentas e poucas faixas que compõem o novo álbum (sendo que algumas já davam sopa por aí há certo tempo).

Eles continuam esquisitos, e é isso o que importa.

segunda-feira, 5 de agosto de 2013

AS CABINES DOS JAEGERS

CÍRCULO DE FOGO (PACIFIC RIM) tem tudo pra ser uma bomba.

Entretanto, como eu costumo ME AMARRAR nesse tipo de coisa, não tô nem aí.

Mesmo assim, é interessante esbarrar com determinadas decisões criativas que, na maioria das vezes, acabam sendo soterradas embaixo de muito script (un)doctoring e sei lá mais qual receita de bolo que os grandes estúdios óliúdianos estão usando hoje em dia "para contar uma história".

No caso, o que me chamou a atenção foi um pequeno detalhe, que faz todo o sentido, no contexto do filme.

No vídeo abaixo (em inglês), o diretor Guillermo del Toro explica porque deixou de lado o conforto (intrauterino?) de um cockpitzinho maroto e optou por colocar os pilotos dos Jaegers em cabines extensas, onde os personagens literalmente caem, quando os robozões que comandam levam umas piabas.

Me convenceu.

quinta-feira, 1 de agosto de 2013

TWITTSHEET - PLANILHA PARA ESCRITA DE FICÇÃO, OU QUALQUER OUTRA COISA, NO TWITTER

Anos atrás, eu tentei escrever ficção no Twitter. Saiu isso aqui (o endereço desse perfil agora pertence à outra pessoa).

O maior problema de se escrever ficção ou qualquer outra coisa ali é, paradoxalmente, um dos grandes apelos do serviço: a limitação de caracteres.

Para resolver esse problema na época, eu criei uma planilha muito simples que contava os caracteres dos segmentos da história, me avisando se eu tinha estourado ou não minha cota de 140 letrinhas.

A planilha foi originalmente feita no OpenOffice/LibreOffice Calc. Fiz o upload no Google Drive e refiz as formatações condicionais. Ela pode ser vista/copiada/baixada neste link:

https://docs.google.com/spreadsheet/ccc?key=0AvESVk0Tt_L1dDVjZU5ua1NZWjVYRkZEVlp6UWgtZUE&usp=sharing

(Note que você não pode editar a original, mas pode baixá-la em seu formato preferido, ou, se estiver logada/o no Google Drive, fazer uma cópia)

Também coloquei a mesma na galeria de modelos do Google Drive.

Não tenho intenção de voltar a usar isso, mas pode ser que alguém ache útil.

P.S.: Sim, eu sei que há um trocadalho no nome do documento.

segunda-feira, 29 de julho de 2013

VIBEASE (WEARABLE SMART VIBRATOR!!!1!)

Vibease: The world's first wearable smart vibrator brings your fantasies to life.

Então tá, né?



P.S.: Não consigo parar de pensar em trocadalhos que envolvam termos sexuais e a palavra crowdfunding...

CHROMECAST

Quando o Chromecast foi anunciado na semana passada, não dei muita bola.

Em parte por imaginar que se tratasse apenas de uma antena modernosa, em parte por eu não ter uma tv com entrada HDMI e, em parte, pelos meus esforços recentes de desgadgetização.

Entretanto, hoje fiquei sabendo que o aparelhinho não é a tal antena que espelha o conteúdo de smartphones/tablets/PCs numa tela grande, mas se trata um computadorzinho com specs até razoáveis (guardadas as devidas proporções, evidentemente), que baixa o conteúdo indicado diretamente da internet.

A princípio, surgiram rumores que ele rodava uma versão modificada do Chrome OS, mas relatos recentes confirmam que ele é baseado em uma versão capada do Android (parecida com a do Google TV).

De qualquer maneira, isso o torna um produto com alto potencial de hackabilidade, que aliás já se confirmou mais cedo do que eu esperava: antes de terminar de escrever esse post, esbarrei nisso aqui.

Bonus: o bichinho, desmontado.

quarta-feira, 10 de julho de 2013

NEW OLDBOY

Da última vez que ouvi falar de um remake americano do fodássimo Oldboy, havia os nomes de Steven Spielberg e Will Smith.

Nem sabia que o projeto tinha afundado, muito menos que tinha sido ressuscitado por Spike Johnze Lee, com Josh Brolin e Samuel L. Jackson no elenco.



PARECE que vai ser legal. PARECE.

P.S.:

Na dúvida, remake por remake, ainda fico com esse aqui, ó:

http://www.imdb.com/title/tt0488906

quinta-feira, 27 de junho de 2013

quarta-feira, 26 de junho de 2013

OPERA

Não uso tanto assim, mas gosto bastante do Opera, principalmente em suas encarnações móveis.

quinta-feira, 20 de junho de 2013

CHROMEBOOK: UM MÊS DEPOIS



Há pouco mais de um mês, botei minhas mãos num Chromebook. Como você já deve ter percebido, meu interesse por esses bichos e pelo Chrome OS não é recente.

Eu espero muito de um computador, principalmente dos meus. Faço uso ostensivo de máquinas virtuais e outras ferramentas que são notoriamente vorazes no que diz respeito a recursos computacionais. Sou freelancer, então o notebook com o qual trabalho também é aquele com o qual me divirto.

Como já disse por aqui antes, minha área profissional é Windowscêntrica por natureza. E as coisas estão num ponto em que considero cada vez mais abandonar a falcatrua que uso há anos (virtualizar o Windows dentro de uma distro Linux) e voltar pro dual-boot.

Isto posto, à primeira vista, um Chromebook não seria para mim, certo?

Mais ou menos. 

Se minhas necessidades profissionais exigem muito, as minhas necessidades pessoais não exigem quase nada. Como a grande maioria dos mortais hoje em dia, se estou na frente de um computador, sem (e às vezes COM) obrigação, eu passo a maior parte do tempo dentro de um browser. E foi pensando nisso que eu decidi encomendar um Chromebook.

Esse modelo foi trazido por um amigo, que estava vindo dos EUA. Algum tempo antes eu já tinha tentado com outro camarada, que voltou da Alemanha justo na semana que os Chromebooks foram lançados por lá.

O modelo que eu tenho é o Samsung Series 03, mais conhecido apenas como Samsung Chromebook. É esse aqui, ó.

Comprado SEM custo Brasil, na cotação atual, esse modelo não é caro. O que não quer dizer que 500 mangos sejam dinheiro de pinga, pelo menos não para mim.

Sei que há toda uma questão envolvida no fato de se deixar dados pessoais em servidores alheios, fora do nosso controle. Contudo, o fato de saber que não há nada realmente importante armazenado localmente me traz uma certa tranquilidade, que eu não tenho quando estou manuseando meu outro notebook. Além disso, não existem partes móveis no computador. Não há HD para morrer repentinamente (já passei por isso e é muito triste, acreditem em mim). Ele é bem leve. Não há ventoinha. O bichinho é bem silencioso. Meus genitais não são carbonizados quando estou usando ele no colo. E, como o Google insiste em dizer, o bicho é rápido. Bem rápido.

Mouses Wireless funcionam. HUBs USB funcionam. O modo offline dá pra quebrar um galho.

Dadas as características desse modelo, acho que preciso de dois acessórios para completar minha experiência:

> Um adaptador Ethernet (RJ45) <> USB: eu viajo bastante. Além disso, não costumo trabalhar no mesmo local mais do que algumas semanas. E é muito comum eu ter que recorrer a conexões via cabinho azul (é, amigas e amigos, eles ainda existem). Além disso, isso faz parte do meu plano maléfico de TENTAR trabalhar só com esse bichinho.

> Um modem/roteador 3G, daqueles que cabem no bolso, tipo esses aqui: seria o reverso da moeda da situação aí de cima. Se em alguns lugares a internet é só na base do cabo, em outros ela simplesmente não existe. E aí tenho que apelar para a minha boa e velha conexão 0,003g. Mas não é possível (pelo menos com a versão atual do ChromeOS) utilizar um modem USB, o que exige que eu tenha que fazer tethering, que costuma resolver o problema por alguns minutos, mas não é das soluções mais eficientes se eu necessitar ficar conectado por mais de 30 minutos (telefone: EM CHAMAS!).

Em relação ao uso geral, ainda tenho mais algumas observações:

- Perfis de usuário: no Chrome para desktops existe a opção de se adicionar vários perfis, ou seja, é possível manipular várias contas diferentes, cada qual com seus devidos aplicativos, configurações e favoritos. No Chrome OS esse recurso é implementado de uma maneira um pouco diferente, visto que não existem perfis, mas sim usuários, e cada usuário tem que fazer logins separados. Enquanto é possível contornar isso utilizando o modo-pornô, digo, as janelas anônimas, ou então associando outras contas à conta principal, não funciona tão bem quanto na versão desktop, visto que os aplicativos, configurações e favoritos serão sempre os da conta principal.

Eu, por exemplo, tenho que gerenciar três contas de email que, de uma maneira ou de outra estão ligadas ao Google. No meu notebook "normal" isso fica relativamente fácil, pois posso ter três instâncias do Chrome rodando ao mesmo tempo, com três perfis diferentes. Já no Chromebook...

- Com apenas 1 conta configurada, o espaço disponível para armazenamento local é de 9,8 GB, ou seja, o sistema operacional toma em média 6 GB. A medida que mais usuários vão sendo adicionados, o espaço de armazenamento local vai diminuindo. Mas, nesse caso, armazenamento local é o que menos importa, né?

- Movido pelo ímpeto aventureiro, habilitei o dev channel. Só para passar raiva. Alguns serviços, como o Google Drive, simplesmente pararam de funcionar. Para voltar ao stable channel, só há duas opções: ou o usuário aguarda o stable alcançar o a versão atual do dev, ou o usuário terá que fazer um system recovery no dispositivo. Nas circunstâncias nas quais me encontrava, a primeira opção não era viável. Existe uma diferença de dois releases entre o stable e o dev, então eu teria que esperar no mínimo 3 meses até que isso ocorresse. O recovery foi fácil, mas tem alguns macetes. Primeiro, tentei fazer usando um microSD dentro de um adaptador SD. Não funcionou. Depois, usando esse mesmo microSD dentro de um adaptador USB, funcionou.

- Após o system recovery, os apps fixados no iniciador (a barra inferior) também são sincronizados, mas o papel de parede não é. Fiquei sem entender, visto que até o Android sincroniza o papel de parede (desde que a opção seja habilitada pelo usuário).

- Venho considerando cada vez mais meter um Ubuntinho dentro dele. Mas, até agora, a preguiça falou mais alto.

- Até agora, a coisa mais produtiva que fiz com ele foi escrever um roteiro de hq.

- Quando volto a usar meu note normal, sempre perco uns quinze minutos até meu cérebro de dar conta que os gestos que funcionam no trackpad do CB NÃO funcionam neste.


SPRAY DE PIMENTA NÃO ME REPRESENTA

pra constar.

quarta-feira, 19 de junho de 2013

FINGER FAMILY

Esse singelo vídeo preencheu, COM LOUVOR, todos os quesitos para ter as mais altas classificações no PMT (Padrão Massula de Tosquice).

Boa tarde.



Como desgraça pouca é bobagem, há um UPDATE.

P.S.: Como descobri isso? Minhas filhas ADORAM.

THE ASSEMBLY 01

Esses quadrinhos indie comercializados no DriveThru COMICS costumam ser medonhos (no mau sentido), mas alguns tem premissas bem legais. Tipo essa:

THE ASSEMBLY 01

For years, anything that might potentially cause philosophical trouble or emotional unrest for the ordinary people of the world has been kept hidden from them. All manner of monster and malcontent are policed by The Assembly, a globe-spanning organization tasked with keeping the unreal at bay. Lately, they've been busy. With a growing number of incidents and a dwindling number of able bodies, their ranks need bolstering.

(grifo meu)

Menção honrosa pra esse SuperFrankensteinAlienigena aí de baixo:

DISCORD 01

quinta-feira, 13 de junho de 2013

O CASAMENTO VERMELHO

Mais uma prova de que a idade está me deixando meio bunda-mole (pra não dizer sensível, que isso é bunda-molice demais até pra mim!):

Embora ache o conceito interessante e tenha uma certa curiosidade, não assisto Game of Thrones.

Entretanto, depois tanto ler sobre o tal Casamento Vermelho, vou lá eu procurar  na internet a TAL cena com a moça grávida. E eu achei. E me arrependi amargamente de ter visto aquilo. Srpski Film feelings.

sábado, 8 de junho de 2013

OS ZUMBIS FILOSÓFICOS DA CIDADE SORRISO

Entreguei ontem um roteiro de hq.

O título é o mesmo do post. Não sei se posso falar mais disso agora (sim, existem NDAs no quadrinho independente brasileiro também, pô!).

Deixei passar várias coisinhas, que foram pegas por uns camaradas que leram e me deram uns toques. Já foram feitas correções. Provavelmente ainda restaram mais algumas arestas a serem aparadas. Ficarei mais esperto da próxima vez.

Fazia tempo que eu não escrevia um, do começo ao fim.

Enfim, foi legal. Não tenho mais aquela gana de escrever quadrinhos, mas quem sabe não sai mais coelho desse mato?

sexta-feira, 7 de junho de 2013

ZEROPC

Inception 2 - um OS rodando um browser dentro de um browser que é um OS.

Ainda acho meio esquisitos os tais hubs de serviços online que tentam emular um desktop, no sentido tradicional da coisa.

Esses agregadores já estão pipocando por aí há um certo tempo, mas o ZeroPC chamou a minha atenção por dois pequenos detalhes.

- O primeiro é a possibilidade de copiar/mover arquivos entre serviços diferentes, de maneira relativamente fácil.
- O segundo é essa dashboardzinha aí de baixo, onde é possível ver um resumo do espaço disponível em cada serviço associado ao ZeroPC.



Não usei muito, mas continuarei de olho.

segunda-feira, 3 de junho de 2013

INTERNET ARCHIVE

O Internet Archive dispensa apresentações.

Esse documentário fala um pouco sobre o trabalho de preservação da informação, digital e analógica, que eles vem fazendo há anos.

Em inglês.


Internet Archive from Deepspeed media on Vimeo.

quinta-feira, 16 de maio de 2013

HABEMUS CHROMEBOOK

O bichinho chegou hoje. Um amigo que voltou dos istazunís trouxe pra mim.

No caso, um Samsung Chromebook Series 03 (nome científico: XE303C12). É, aquele com processador ARM, for everyone. Se liga:

https://www.google.com/intl/en/chrome/devices/chromebooks.html#ss-cb

Ainda estou conhecendo a parada, então, por enquanto, não há muito a dizer. Abaixo, algumas observações esparsas:

- O bluetooth funcionou com um teclado Nokia SU-8W, mas se recusa a encontrar meu mouse.

- Nada de malandragem com o 3G. O meu é um modelo Wi-Fi, então, apesar de haver um slot para um cartão SIM, ele está selado com uma borracha que aparenta ter sido colada lá dentro. Também testei um modem 3G (um ZTE MF-100 da VIVO), e ele também não foi reconhecido pelo sistema. Pelo sim, pelo não, testei o comando modem_set_carrier através do crosh. Obviamente, não deu certo. Pesquisarei mais. Afinal, sou brasileiro e não desisto nunca!

- Aliás, falando em Brasil, é impressão minha ou, fora poucas resenhas sobre alguns Cr-48 emprestados pelo Google que pipocaram anos atrás, comentários/relatos em pt-BR sobre esses equipamentos são praticamente inexistentes? Entendo que Chromebooks não são oficialmente vendidos por aqui, mas esse tipo de coisa nunca foi impedimento na hora de trazer o último iPhone ou qualquer outra traquitana da vez. Acho que essa tecnologia não fez muito a cabeça do consumidor brasileiro. Daí a demora do Google em aparecer com esses aparelhos por aqui.

- Reconheceu diversos tipos de unidades de armazenamento USB, inclusive com adaptadores.

-  Um aparelho que tem um comercial (antigo, eu sei) com Slayer na trilha sonora merece todo o meu respeito.




Por enquanto é só.

domingo, 12 de maio de 2013

ADEUS, GOOGLE READER. FOI BOM ENQUANTO DUROU...

Eu fui um dos que demorou um pouco a "acreditar" no Google Reader. Só deixei minha conta no Bloglines porque o serviço ficou muito bugado.  Na época a interface do GR era terrível. Mas quando me acostumei, não larguei mais.

E por isso me considero uma das viúvas da "nuance social" do GR, que foi descontinuada em favor do Google+.

Não me lembro se compartilhei por aí esse post do Buzzfeed que tava perdido no meu Pocket* . Na época achei o texto conveniente.

Quando recebi a notícia de que o serviço seria totalmente descontinuado em Julho próximo, também senti uma pontadinha de tristeza. Mas eu meio que esperava.

Em relação a outros produtos do Google, o Reader estava cada vez mais segregado. Não recebia atualizações. Tempos atrás também notei que habilitaram uma opção "importar do Google Reader" (ou algo que o valha) o leitor de feeds que fica dentro da dashboard do Blogger (Lista de leitura).

Enfim, vai acabar, então vou ter que conseguir outra maneira de juntar as atualizações dos sites/blogs que gosto de ler.

Uma coisa que só notei depois da notícia foi que eu acessava o Reader cada vez mais pelo celular e cada vez menos pela interface Web. O Android app do Reader é extremamente leve e funcional.

Então, quando optei por um sucessor, um dos principais critérios foi que o app/serviço/programa/whatever tivesse uma versão mobile.

Por enquanto, estou dividindo meus esforços entre o Feedly e o Pulse. No primeiro, importei meus feeds do Reader como estão (depois de última limpa, 163 feeds). Está servindo como um backup.

No segundo, eu estou tentando fazer uma experiência. Como em quase todo leitor de feeds que se preze, no Pulse é possível dividir sua coleção de feeds em pastas/guias/grupos/whatever. Mas uma limitação faz com que seja possível aninhar no máximo 12 feeds em cada uma dessas divisões. A princípio, também importei meus feeds do GReader, mas fui, aos poucos, deletando quase tudo até que sobrassem apenas 12, ou seja, apenas uma guia.

Então, por enquanto, o Pulse é minha primeira parada (e, dependendo do meu humor no dia, a única ) quando estou à procura de coisas novas. Se eu não me sacio, vou pro Feedly.

Adeus, Google Reader. Foi bom enquanto durou.

P.S.: A próxima vítima? Em minha humilde opinião, Blogger.

*pun intended

CARACTERÍSTICAS DO PSICOPATA CORPORATIVO

A palavra psicopata, embora muitos não saibam, não representa necessariamente violência ou outras coisas ruins. Para a psicologia, psicopatia nada mais é que um conjunto distinto de características de personalidade e pode ser comumente encontrada nas pessoas, que apresentam frieza, ausência de medo, são charmosas, persuasivas e narcisistas, e normalmente não são simpáticas.

Por mais que a autora do artigo se esforce para explicar que não devemos confundir alhos com bugalhos, ainda me incomoda muito ler esse tipo de coisa.

E, só para refrescar sua memória: ó.


sexta-feira, 26 de abril de 2013

SE NÃO QUEBROU, NÃO CONSERTE

Ou ainda:

UMA EMPRESA É GERIDA USANDO UM COMPUTADOR FABRICADO EM 1948!!!!1!!!!1!!! THIS IS SPARTAAAAA!!!!!

Ok.

Cheguei nessa reportagem através de um link que o Ernesto Nakamura postou lá no Facebook. Se o inglês não for problema, leia, porque é muito interessante.

Abaixo, dois trechos:

"These legacy systems are integrated into multibillion dollar systems as control or test systems," Jones says. Replacing these old systems with modern machines, she explains, would cost millions of dollars and could potentially disrupt national security.

The biggest problem with maintaining such ancient computer systems is that the original technicians who knew how to configure and maintain them have long since retired or passed away, so no one is left with the knowledge required to fix them if they break.


Achei legal, já que recentemente perdi uma semana tentando ressuscitar um notebook de 2005, por causa de uma porta serial. Os adaptadores serial-usb que existem por aí estão ficando cada vez melhores. Mas, acreditem, alguns equipamentos industriais mais antigos se recusam a funcionar com este ou qualquer outro tipo de conversor.

O problema é o HD, que está cheio de badblocks. Custei a encontrar um outro compatível (IDE 1, que já não é fabricado há muito tempo). Achei um usado, paguei os olhos da cara. Aí na hora de formatar o bicho, descobri que havia algum defeito no drive de CDs que me impedia de bootar com o CD do Windows XP. Então tive mais um trabalho do inferno para fazer um pendrive bootável. Que não funcionou. Então desisti do Windows e parti para a instalação do Lubuntu, que me permitiria virtualizar um XP com configurações bem modestas, mas funcionais. Então, no meio do processo, o monitor resolver me dar adeus.

Fiquei muito fulo, e acabei desistindo da empreitada. A contragosto tive que devolver o HD, que não ia me servir para mais nada (mas já foi vendido, se você quer mesmo saber).

O problema que tínhamos acabou sendo resolvido de outro jeito, mas isso me fez pensar como setores críticos da sociedade são dependentes de tecnologias que já morreram ou que estão com um pé na cova.

A automação industrial é um bom exemplo disso: boa parte dos sistemas são exclusivamente WindowsXPcêntricos. Em pleno 2013, ainda são fabricados equipamentos que só funcionam ou que só podem ser acessados através de programas que rodam no XP. Nada de Vista, nada de 7 e Windows 8 então, nem pensar!

Aliás, a minha "workstation" é uma máquina virtual do XP.

O problema não é usar tecnologias antigas, porém estáveis. O problema é utilizar tecnologias que pertencem a empresas/grupos que não tem interesse em manter aquilo funcionando por muito tempo. A tal obsolescência programada. Ano que vem a Microsoft mata de vez qualquer tipo de suporte e atualizações de segurança do XP.

Para equipamentos que trabalham isolados, isso não representa um grande problema. Mas com a integração cada vez maior do "chão de fábrica" com níveis mais altos das redes corporativas, e as vezes até com a própria internet, esse abandono por parte da nave mãe pode sim representar um risco à segurança dos equipamentos e, principalmente, das pessoas que trabalham perto deles.

Isso também me fez pensar sobre alguns velhos hábitos que vão ficando com a gente à medida que envelhecemos. Eu só consigo fazer cálculos que vão me tomar mais de dois minutos na minha velha HP 48G, que já está quase nos vinte anos.

Como diz a canção, "panela velha é que faz comida boa"! :)

quarta-feira, 24 de abril de 2013

THE PRIVATE EYE

Já tava sabendo de THE PRIVATE EYE, nova hq do BKV e do Marcos Martín.

O que eu NÃO tava sabendo é que também ia teria versão traduzida para o bom e velho pt-BR, trabalho feito por Érico Assis e Fabiano Denardin, já conhecidos pelos leitores de quadrinhos brasileiros.

O engraçado é que fiquei sabendo desse detalhe pelo Zé Wellington, através do Facebook. E só baixei a versão traduzida pela curiosidade de saber quem tinha traduzido. E pouco depois de baixá-la, fico sabendo da notícia pela falanges do próprio Érico, através de uma mensagem na EuroQuadrinhos.

(Tudo bem, sei que sua vida não vai mudar por causa disso)

A hq é interessante, e o título é bem pertinente. A arte de Marcos também é bacana e instiga a visão. Depois que digerir tudo, talvez eu me arrisque a fazer uma resenha.

Resumo da ópera. Li, gostei, e pagarei.

P.S.: como a hq foi pensada para ser lida em dispositivos eletrônicos, o formato das páginas é horizontal  (ou paisagem, se você preferir). E isso faz com que a leitura em tablets de 7 polegadas seja tolerável, o que para mim é um bom sinal.

domingo, 21 de abril de 2013

LIFEHACKER: HOW I WORK

Foi só dia desses que me dei conta da nova série do Lifehacker, How I Work. A princípio pode lembrar iniciativas mais antigas, como o usesthis.com, mas se o último se concentra no que as pessoas usam, o foco da série do Lifehacker é o que as pessoas fazem.

De modo geral, isso muito me interessa, e eu posso ficar lendo esse tipo de coisa pelo resto da minha vida.

Até agora as entrevistas que gostei mais foram as do J.G. Quintel, criador de Apenas um Show, Cory Doctorow, e Ryan North, quadrinista que escreve os roteiros da versão quadrinizada de Hora de Aventura em formato .txt, usando um editor de textos, como todo roteirista MUITO MACHO* deveria fazer, aliás.

*Às Patrulhas Politicamente Corretas da Rede Mundial de Computadores: a macheza, no caso, refere-se a um estado de espírito, e não à posse/predileção/ojeriza por pipis e/ou pererecas, certo?

domingo, 14 de abril de 2013

WILL SMITH + ALPHA STASIS = ?


Apesar do visual muy interessante, este filme provavelmente será uma bomba.

Não que isso vá me impedir de assistí-lo.



Mas, gozado mesmo é que faz meses que eu não consigo desvincular esse trailer do space rock supimpa feito pelo ALPHA STASIS.

Já assistiu o trailer aí em cima? Agora ouça a canção abaixo.


E aí? Tem a ver?

Em tempo: se você ainda não se ligou, esta é a página do ALPHA STASIS no Bandcamp. Tem um monte de coisa bacana pra se ouvir por lá.

domingo, 7 de abril de 2013

CARGO

Logo agora que o Antonio Eder me convence a voltar a escrever roteiros, com um hq sobre zumbis, tropeço nesse curta, onde um pai mordido pelos ditos cujos tem que salvar a filha bebê antes de se transformar completamente num deles.


Acredite se quiser, mas eu não estava pesquisando o tema.

Que foda.

sábado, 6 de abril de 2013

LITTLE BIG - EVERYDAY I'M DRINKING

Mais um oferecimento do meu irmão, que vive me enviando esse tipo de coisa, como se eu adorasse.

(o que, de fato, é fato)

Boa noite.

sexta-feira, 5 de abril de 2013

FORÇA AÍ, DONNIE DARKO!


No seu bairro tem o quadro de força (?) armário de distribuição* do Donnie Darko?

(no meu também não, mas até que fica perto de casa)


*Este blog agradece os esclarecimentos prestados pelo El Primo Padu Bukika.

quinta-feira, 28 de março de 2013

WAT?

O vídeo abaixo - em inglês, mas curtinho -  é o trecho de uma palestra apresentada pelo desenvolvedor Gary Bernhardt, onde ele fala de algumas "particularidades" das linguagens de programação Ruby e Javascript.

Provavelmente não terá muito sentido pra quem não se interessa pelo assunto, mas o easter egg dos últimos segundos vai fazer a alegria de todos os nerds de plantão.

quarta-feira, 27 de março de 2013

A 1º LEI DA EXEQUIBILIDADE QUADRINÍSTICA BRASILEIRA

No Brasil, a EXEQUIBILIDADE QUADRINÍSTICA é inversamente proporcional ao NÚMERO DE PÁGINAS DA SUA HQ.

Esta relação pode ser representada da seguinte maneira:

EQ = FD*(1/NPHQ)

Onde:

FD = FATOR AINDA DESCONHECIDO. Variável que, para ilustres desconhecidos, malucos, esmurradores de ponta de faca e demais pobres coitados, sempre tem valor 1. Entretanto, alguns poucos ilustres desconhecidos, malucos, esmurradores de ponta de faca, iluminados e batalhadores conseguem com que esse valor seja MAIOR do que 1, elevando, consequentemente, seu índice de EXEQUIBILIDADE QUADRINÍSTICA.

EQ = EXEQUIBILIDADE QUADRINÍSTICA

NPHQ = NÚMERO DE PÁGINAS DA SUA HQ

Ou seja, a não ser que você um ilustre desconhecido, maluco, esmurrador de ponta de faca, iluminado e batalhadorsegundo a 1° LdEQB, quanto MENOS páginas tiver sua HQ, MAIS chances ela terá de ser finalizada!


quarta-feira, 20 de março de 2013

CONSTANTINE #1

Faz tempo que deixei de acompanhar de perto o que as "majors" andam publicando.

Mesmo assim, não sei se rio ou se choro...

Lançaram hoje a primeira edição de Constantine, já integrado ao "universo regular" da DC.

Embora ele tenha sido criado dentro desse mesmo universo, como coadjuvante na revista de outro personagem (que acabou tendo a mesma trajetória), com o passar do tempo John Constantine ganhou popularidade suficiente para ganhar um título próprio, HELLBLAZER, e os autores que se sucederam na revista conseguiram manter uma distância saudável do core da DC.

Mas decisões editoriais que estão aos poucos implodindo a Vertigo fizeram com que o título anterior fosse cancelado, e o Mago do Proletariado fosse reintegrado ao universo DC, ou seja, espere encontros com o Super-Homem, Mxyzptlk e o Homem-Borracha.

É possível ler as três primeiras páginas aqui. De repente, o título pode até ser legal, mas só de ver esse hadouken pentagramático na capa, eu me desanimei.


segunda-feira, 18 de março de 2013

DE GRAÇA, ATÉ CADEIRADA NAS COSTAS!

Nunca me senti atraído pela obra do Dan Brown.

Até hoje não li seus livros, e também não vi os filmes baseados nos mesmos. Mas gostaria de deixar claro que não sinto qualquer tipo de ojeriza pelo autor, por sua obra (que desconheço) ou pelo gênero (que, guardadas as devidas proporções, admiro). É simplesmente um caso de prioridades.

Entretanto, hoje descobri que o autor está disponibilizando gratuitamente seu principal hit, THE DA VINCI CODE (em inglês).

No meu caso, consegui baixar o livro na Amazon americana, mas ele também está disponível em outros lugares.

Mas se liga que a promoção só dura uma semana (acaba no próximo dia 24).

domingo, 17 de março de 2013

ATÉ MAIS, SHANNON

Fiquei chateado em saber que Shannon Larratt  perdeu a batalha contra uma doença descoberta em 2010. Eu me amarrava no BMEzine.

E, velho, cartas póstumas simplesmente acabam com meu dia.

RIP, Shannon.

segunda-feira, 11 de março de 2013

LOTTE FIT'S

E não é que eu encontrei uma compilação com todos (?) os comerciais do FIT's?

Repetindo as palavras de um camarada, posso ficar horas vendo essa SANDICE, hahaha!!!

LADRÕES DE BANDA!


(De BANDA, seus abestados!)

No hotel onde estou, a conexão ainda é via cabo.

Então, em nome da Lei de Zipf, eu costumo espetar o maledetto num roteador wireless que sempre trago comigo.

E acabei repetindo um experimento que faço vez ou outra: deixei a rede wireless sem senha, só pra ver quanto tempo demoraria até que alguém se pendurasse nela.

Hoje tivemos um novo recorde: menos de 9 minutos.

Notem que eu estou no INTERIOR de São Paulo.

domingo, 10 de março de 2013

ROQUE METATRON

Roque Metatron era o mais recente de uma linhagem de músicos que tocava na lendária banda Doktor Fritz. A banda já tinha décadas. E era preciso mais de uma mão para contá-las. Foram diversas formações e vários estilos. Obviamente, não havia nenhum membro da formação original junto com Roque. Na verdade, não havia membro nenhum com Roque. Ele cantava, tocava e sintetizava tudo sozinho.

Em sua mais recente encarnação, o Doktor Fritz abandonou os palcos e as guitarras sujas para compor trilhas sonoras para MMORPGs obscuros.

Ele não tinha as faculdades mediúnicas que eram comuns aos vocalistas anteriores da banda. Entretanto, era vigiado noite e dia por seu próprio ninja pessoal. Também falava oito idiomas e, corre à boca pequena, um deles era a língua dos anjos.

sábado, 9 de março de 2013

GALLOWWALKERS

Cowboy negão ninja arregaçando zumbis. Meio que um Blade westernpunk. Tosquidão suprema. Diversão total.

3 DRUNK FLIES

Numa conversa online com meu bródinho do meio, acabei me lembrando disso aqui:

http://www.joecartoon.com/index.php/episodes/3-drunk-flies/

Na - já distante - época da faculdade (que eu não concluí), eu adorava esse sítio internético.

quarta-feira, 6 de março de 2013

PENSE LOCALMENTE, AJA GLOBALMENTE

O título desse post é uma distorção do famoso dito "think globally, act locally", cuja autoria é imputada  a um monte de gente.

Pretend(o/ia) usar como frase de efeito para uma coisa na qual pensei.

Tem pós-humanismo, propriocepção, upload de consciência para corpos robóticos e tal.

E por enquanto é só.

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

OPERA MUDANDO PARA O WEBKIT

Com isso, talvez agora eu possa colocar em prática meu plano de mudar meus hábitos websurfísticos totalmente para o Opera.

Ou não.

NOS ESTADOS UNIDOS, TODO ALUNO DEVERIA SABER PROGRAMAR. SÉRIO?

O título provisório deste post foi AMERICANOS FICANDO NOIADOS COM PROGRAMAÇÃO DE COMPUTADORES.

De qualquer maneira, tenho visto esse (nem tão recente) movimento do "toda criança tem que saber programar" como um sintoma da situação econômica dos EUA.



Se não me engano, é no conto Vemos as Coisas de Modo Diferente, de Bruce Sterling (publicado no livro FUTURO PROIBIDO), que um dos personagens afirma que, àquela altura do campeonato (um futuro não muito distante), a única coisa que os Estados Unidos ainda conseguiam exportar eram pop-stars.

Hoje em dia, no mundo real, a China domina a manufatura de bens de consumo. A Índia, os serviços. A Alemanha, a criação de equipamentos industriais. Você pode comprar armas dos Russos ou até mesmo dos Brasileiros. O que mais os americanos poderiam vender ao resto do mundo?

Elementar, meu caro Watson: código.

De modo geral, eles sempre foram proficientes na arcana arte da programação de computadores. As maiores empresas de computação do mundo estão lá. Mesmo tecnologias que nasceram fora dali foram rapidamente incorporadas por eles. A internet (com exceção da Coréia do Norte) é praticamente deles. Por que não?

Isso não acontece apenas lá, evidentemente.  E o domínio das ciências da computação é um assunto estratégico para qualquer país que se preze. Mas como são os Estados Unidos, tudo toma uma proporção maior.

E, pra te falar a verdade, nem vejo isso com maus-olhos. E até pretendo ensinar uma coisa ou outra ao meu filho de 8 anos, que dia desses tava querendo aprender a fazer um app (pois é...).

Mas concordo com a opinião de Jeff Atwood: o cógido não é um fim em si. É uma ferramenta para resolver problemas que não podem - na maioria dos casos - serem resolvidos de outra maneira.

Por mais que os computadores estejam permeando todos os aspectos da vida moderna, programadores tem que saber programar. E cozinheiros tem que saber cozinhar. E médicos tem que saber medicar. Escritores tem que saber escrever. Humoristas tem que saber fazer os outros riem. E por aí vai.

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

COMO DAR REMÉDIO PARA O SEU GATO

Roubei no caralivro da minha irmã, a especialista em felinos da família.

Faz tempo que não convivo com gatos, e de vez em quando bate até uma saudade.

terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

TESTA

Não terminei (e, provavelmente, não terminarei) de escrever ADSENSELESS, mas, ó:

Para se livrar de dívidas, britânico oferece testa a anunciantes

APT1: EXPOSING ONE OF CHINA'S CYBER ESPIONAGE UNITS

Essa reportagem do TechCrunch me levou ao vídeo abaixo, que por sua vez me levou a essa página.



Basicamente, a empresa de segurança Mandiant reproduz o que seriam mostra os procedimentos usados por um grupo de hackers baseados na China para roubarem informações de governos e empresas ocidentais. Supostamente esse grupo estaria trabalhando sob o comando do governo chinês.

A título de curiosidade, o roteiro de DURO DE MATAR 4 (DIE HARD 4.0) foi baseado numa matéria da revista Wired. E acho que esse assunto rende thriller também, hein, Róliúdi!

P.S.: Para sua informação, os coitadinhos dos Estados Unidos (e qualquer outro governo com a mínima infraestrutura) também aprontam dessas.

UPDTATE, 26/02/2013:

Eu li a documentação. Apesar de interessante, tudo se resume a uma propaganda gigante para um produto da própria Mandiant.

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

A PERFECT CIRCLE - JUDITH

Minha irmã me apresentou o som desse pessoal há muito, muito tempo atrás. Mas eu só fui me lembrar deles de umas semanas pra cá. Essa música é do primeiro disco (do qual eu prefiro The Hollow, aliás).

segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013

TEXT AS A PROCESS

Microsoft Word still uses the metaphor of the page, the computer screen that imitates a blank, bounded sheet of physical paper. For me, this is outdated and unimaginative. It has become a barrier rather than a window. And there is always the distraction of changing font and line-spacing, jumping ahead too quickly to imagining the text as a visual, physical product instead of a process, a fluid semantic interplay.Instead, turning my MacBook into a kind of replica 1980s IBM machine, with the words glowing and hovering in an interstellar void, is liberating: as though I am composing the Platonic ideal of a text that might eventually take many different forms.

O grifo é meu e eu roubei o texto aqui.

E, só pra te dar a letra, já falamos da metáfora do papel, em outra época.

terça-feira, 29 de janeiro de 2013

TIM MCMORRIS E OS EDITORES DE TEXTO DO IPAD

Eu não uso um iPad, mas sou viciado em editores de texto, então tempos atrás, acabei esbarrando na MARAVILHOSA lista compilada pelo Brett Terpstra, mas acho que lá ainda falta uma categoria: aplicativos que não tenham seus comerciais embalados pelas músicas do Tim McMorris

:P

Em tempo: eu gosto dessa música. E dessa aqui também.

domingo, 20 de janeiro de 2013

GYRO BOWL

Fiquei tão impressionado com um utensílio comprado pela patroa recentemente que pensei até em gravar um vídeo e postá-lo no Youtube. E seria meu primeiro upload pra lá, só procê ter uma ideia.

O nosso exemplar não tem ABSOLUTAMENTE nenhuma marcação ou logotipo (o que me faz pensar que pode se tratar de uma falsificação), mas meu google-fu tava afiado ontem, e eu acabei encontrando a parada na primeira tentativa.

Se chama Gyro Bowl e, bem, veja você mesmo:



O que me chamou a atenção foi, obviamente, o mecanismo giroscópico que faz a comida ficar sempre pra cima, independente do jeito que a criança pegar o prato/brinquedo.

Não que outros produtos manufaturados, por mais simples que sejam, também não tenham sua dose de ciência e engenharia aplicadas. Mas no caso do Gyro Bowl isso é tão evidente (e legal) que fica difícil deixar passar batido.

Portanto, pais de bebês que nem eu, se encontrarem por aí, COMPREM!

terça-feira, 15 de janeiro de 2013

NEW MYSPACE

Tempos atrás o Myspace deixou rapidamente de ser um lugar muito legal (porque era uma rede social de nicho: música), pra se transformar em uma verdadeira hecatombe de spammers e gente xarope. Aliás, acho que essa é a sina de toda aglomeração digital.

Larguei mão de lá  no início do ano passado. Mas eu ainda sentia falta da alegria de sair à deriva nos perfis alheios, tentando descobrir novos sons que me interessassem. Vez ou outra acabava encontrando alguma coisa legal.

Portanto, mesmo depois de ter decidido abandonar boa parte das redes sociais, assim que abriram as portas do new Myspace à plebe, resolvi (re)criar um perfil lá. Achei tudo meio confuso e espalhafatoso, mas deve ser só falta de costume.

Se liga:

quinta-feira, 10 de janeiro de 2013

BRUJERIA - MARIJUANA (LA MACARENA PARODY / LYRICS VIDEO)

Minha irmã me enviou isso pelo Facebook.

Obrigado, maninha, muito obrigado!